Saiba quais são os principais cuidados no armazenamento de cargas perigosas

Publicado por Fábio Cunha em Gestão de Transporte, TMS, Transporte, WMS.

O armazenamento de cargas perigosas é uma atividade que requer muita atenção dos gestores: além de serem produtos que podem causar muitos danos à integridade física dos colaboradores, e até ao meio ambiente, a legislação exige cuidados especiais.

Por isso, é imprescindível que a equipe conheça e aplique as táticas necessárias para trazer mais segurança a esse tipo de armazenamento.

saiba quais são os principais cuidados no armazenamento de cargas perigosas

Neste conteúdo, explicamos o que são as cargas perigosas, qual é a importância de ter cuidado ao manejá-las e, após, as melhores táticas para armazená-las com cuidado. Confira a leitura!

O que são cargas perigosas e por que armazená-las com cuidado?

Inicialmente, o profissional da logística precisa saber quais cargas são consideradas perigosas. Trata-se de produtos de origem biológica, radiológica ou química, que podem causar danos à saúde, à segurança pública ou ao meio ambiente.

São mais de 90 categorias e 3 mil tipos de produtos que estão listados na Resolução n.º 5.232/16 da Agência Nacional de Transporte Terrestres (ANTT). Exemplos de categorias e produtos da norma são:

  • líquidos, como álcool, óleo diesel, gasolina etc.;
  • sólidos inflamáveis, como o enxofre;
  • explosivos, como a pólvora e a nitroglicerina;
  • gases, como o cloro e a amônia;
  • materiais corrosivos, como o hidróxido de sódio e o ácido sulfúrico;
  • substâncias radioativas, tóxicas e oxidantes.

Ter cuidado tanto no armazenamento como no transporte desse tipo de carga minimiza os riscos de acidentes, derramamentos e outros problemas. Além disso, negligenciar o assunto pode fazer com que a empresa arque com multas e apreensões durante as fiscalizações realizadas pelas autoridades competentes.

Quais são as boas práticas no armazenamento de cargas perigosas?

Vários cuidados são necessários para que a empresa se mantenha regularizada perante a lei, enquanto outros são obrigatórios pela legislação. Confira nos tópicos seguintes.

Conheça as características da carga

Estude todas as características da carga perigosa que será armazenada. Isso é relevante a fim de que você adéque a infraestrutura do local para a armazenagem. Conhecer o produto permitirá a definição de alguns elementos, como:

  • tipo de embalagem ideal;
  • temperatura ambiente adequada;
  • necessidade ou não de estabilização;
  • obrigação de vedação total ou não;
  • necessidade de equipamentos especiais para o manejo, como luvas, máscaras etc.

Por exemplo, algumas cargas precisam ser armazenadas em uma determinada temperatura para que sua composição química não seja alterada. Também há produtos que devem estar dentro de contêineres especiais, o que acontece com itens radioativos.

Já um exemplo de necessidade de estabilização consiste no manejo de substâncias explosivas, como artifícios pirotécnicos, já que a falta de cuidado pode gerar uma detonação.

Powered by Rock Convert

Faça a sinalização adequada

Uma das ações mais importantes para minimizar os riscos é sinalizar os produtos, as embalagens, os contêineres ou os veículos que os transportam. Os funcionários conseguirão identificar rapidamente os produtos e manuseá-los adequadamente, pois algumas das figuras trazem instruções para isso.

A sinalização pode ser encontrada no Manual de Fiscalização do Transporte Rodoviário Nacional e Internacional de Produtos Perigosos (TRPP). Ela inclui:

  • selos de identificação da conformidade do Inmetro;
  • marcações duráveis e legíveis com a dimensão e o tipo de embalagem, o ano e o local de fabricação, o nome ou o código do fabricante;
  • setas de orientação;
  • rótulo que simboliza a categoria do produto;
  • número de classificação do produto na ONU.

Fique atento à documentação

A legislação é extensa e rigorosa no que diz respeito aos documentos que devem acompanhar a carga perigosa. É possível que as exigências mudem dependendo do estado onde os produtos serão transportados, mas geralmente são necessários os seguintes documentos:

  • declaração com uma descrição completa dos bens que estão sendo transportados. Ela é emitida pelo expedidor, que geralmente é o responsável pela operação de transporte;
  • documentos fiscais sobre o produto transportado;
  • documento impresso que demonstre os procedimentos de segurança mais indicados caso ocorram acidentes e outros problemas no traslado;
  • documentos comprobatórios que indiquem que o motorista realizou o Curso de Movimentação de Produtos Perigosos (MOPP);
  • licença estadual ou municipal para transporte, se necessário;
  • cadastro técnico federal de atividade potencialmente poluidora (CTF-APP), fornecido pelo IBAMA;
  • documentos de inspeção técnica veicular;
  • registro nacional de transportadoras rodoviárias de cargas (RNTRC);
  • outras autorizações e licenças específicas, dependendo de cada tipo de carga e operação.

Utilize os equipamentos adequados

Os equipamentos de proteção individual (EPIs) ou coletiva (EPCs) têm a finalidade de proteger a integridade física dos colaboradores que manuseiam as cargas perigosas, sendo cruciais para armazenar e transportar esse tipo de produto com segurança.

Eles devem ser fornecidos pela empresa de transporte, que também garantirá que os trabalhadores os utilizem adequadamente. Para isso, é importante orientar os funcionários sobre a importância dos equipamentos, fornecer as instruções sobre o uso correto e aplicar sanções caso elas não sejam seguidas. Os EPIs e EPCs estão listados na ABNT NBR 9735 e 10271. Alguns desses equipamentos são:

  • luvas de proteção;
  • máscaras;
  • óculos;
  • aventais;
  • botas, calças e perneiras;
  • creme protetor.

Qualifique a sua equipe

Os operadores são os indivíduos que cuidarão do armazenamento, realizarão as atividades de carga e descarga, entre outras afins. Por essa razão, é fundamental investir em treinamentos desenvolvidos especialmente para instruí-los sobre o manuseio de cargas perigosas.

Ao fazê-lo, os funcionários saberão quais são os cuidados necessários para evitar problemas nessas atividades. Ressalta-se que essa dica se aplica a qualquer tipo de produto, como corrosivos, explosivos, peroxidáveis, inflamáveis, entre outros.

Invista em tecnologia

Dificilmente uma empresa consegue gerenciar adequadamente o transporte e o armazenamento de mercadorias sem utilizar a tecnologia a seu favor. Isso também se aplica às cargas perigosas.

Um software de gestão de armazenagem (Warehouse Management System ou WMS) é uma plataforma utilizada por armazéns, operadores logísticos, terminais de cargas, exportadores e importadores para controlar melhor as atividades desempenhadas no negócio. Entre os recursos fornecidos por um bom sistema, estão:

  • cadastro de produtos, transportadoras e clientes;
  • controle de estoques e mercadorias;
  • controle de registro de entradas, saídas e transferências de produtos;
  • impressão de etiquetas de embalagens, lotes e produtos;
  • impressão das guias necessárias para transporte;
  • montagem de mapa de estufagem para conteinerização.

A empresa que aplica os cuidados de armazenamento de cargas perigosas conquistará muitos benefícios para seu negócio, como minimização de riscos, prevenção de problemas no traslado, maior controle na movimentação, identificação e diminuição de custos e muito mais.

Emissor de CTe com CIOT e EDIGostou do post? Então, assine já a nossa newsletter para receber outros conteúdos interessantes diretamente na sua caixa de entrada!

Avalie este artigo


Veja também

Deixar comentários