Frete CIF e FOB – Conheça as diferenças entre esses tipos de frete

Publicado por Fábio Cunha em Gestão de Transporte, TMS, Transporte.

Já ouviu falar do Frete CIF e do FOB? Tratam-se de diferentes tipos de fretes que impactam diretamente nos custos, responsabilidades e riscos de uma operação de transporte. Por essa razão, para garantir o pleno desenvolvimento de uma transportadora ou empresa ligada à logística, é fundamental que o gestor conheça esses conceitos.

frete cif e fob conheca os tipos de frete existentes e as diferencas entre eles

CIF significa Cost, Insurance and Freight (custo, seguro e frete) e FOB, Free on Board (livre a bordo), e há muitas diferenças impactantes entre esses conceitos. Quer saber quais são elas? Continue a leitura deste artigo e se aprofunde no assunto!

A importância de definir o tipo correto de frete

A gestão do frete é uma atividade que deve ser realizada com bastante cautela. O gestor precisa analisar aspectos que vão além do preço cobrado e da qualidade do serviço, caso contrário ele poderá fechar negócios que prejudicarão as finanças da empresa.

O CIF e o FOB refletem nas responsabilidades de toda uma operação de transporte, o que afeta os custos, riscos, relação com os clientes e até mesmo a tributação da atividade. Para garantir o sucesso, crescimento e até a sobrevivência do negócio é preciso entender as diferenças entre os tipos de fretes.

Os tipos de frentes e suas diferenças

De forma geral, as diferenças estão relacionadas ao custeio, cuidados com a mercadoria e formas de contratação. Entenda melhor a seguir.

Frete CIF

Nessa modalidade o frete é pago na origem e é o vendedor quem arca com os riscos e custos de toda a operação de transporte. Na prática, aquele que remete a carga (o fornecedor) deve arcar com o frete, seguros e taxas, sendo que esses valores são embutidos no preço das mercadorias vendidas e repassados ao cliente.

Como será a empresa que arcará com todos os riscos e custos do transporte, o valor do CIF costuma ser mais caro que o FOB. Entretanto, geralmente os clientes que são destinatários finais preferem esse tipo de frete, já que eles não têm conhecimentos sobre o transporte de cargas.

Diante desse fato, ele é mais favorecido nas relações de Business to Customer (B2C ou “de negócios de empresas para clientes finais”) e nas situações em que há um grande volume de remessas para vários destinatários. Essas hipóteses são comuns nos e-commerces (lojas virtuais) ou nos negócios em que há muita complexidade na organização dos fretes.

É comum que o cliente não acompanhe o transporte quando o frete é CIF, já que o processo é de responsabilidade do fornecedor. O expedidor deve usar um bom software de gestão para rastrear o status de cada entrega, permitindo que ele solucione imediatamente eventuais problemas que surjam no traslado.

Frete FOB

No frete FOB o vendedor somente é responsável pela mercadoria até o seu despacho. Ou seja, comprador deverá arcar com seus riscos e custos do transporte, tratando-se de uma opção mais favorável para os vendedores. Nesse tipo frete não está embutido o preço dos bens.

Ele é comumente utilizado nas entregas Business to Business (B2B ou “de empresas para empresas”), quando as cargas têm um grande valor agregado ou o custo do frete é excepcionalmente elevado.

Essas situações ocorrem, por exemplo, quando indústrias adquirem bens de diferentes fornecedores, bem como contratam transportadoras para coletar os itens. Outro exemplo é quando o comprador é uma empresa de comércio. Aqui eles também devem ter parcerias com transportadoras que buscam as mercadorias.

Se um cliente que é destinatário final escolher o FOB, ele deverá arcar com os custos do transporte, seguros e taxas. Um exemplo dessa situação é a opção de “Frete a Pagar”, disponibilizada pelos Correios.

Quanto ao monitoramento da entrega, esse é um processo opcional para o vendedor. Nesse caso é importante que a empresa de transporte utilize um software de rastreio de cargas que informe o comprador sobre o status das mercadorias.

Por fim, tanto no CIF como no FOB o valor do frete deve ser especificado no documento fiscal para efeito de cálculo dos tributos.

APP Entreguei - Plataforma de Controle de Entregas

Os diferentes modelos de contratação

Percebe-se que a escolha do tipo de frete ideal dependerá do tipo de negócio fechado entre as partes, sendo necessário entender os diferentes modelos de contratação. Confira-os abaixo.

Normal

Esse é o mais comum de ocorrer e se dá quando o mesmo fornecedor é responsável pela coleta da carga, transporte e entrega ao remetente. Não há necessidade de envolver outras pessoas e empresas no processo.

Subcontratação

A subcontratação acontece quando uma transportadora repassa a operação de transporte para outra. Imagine que uma empresa é contratada para fazer uma entrega, mas ela não conseguirá realizar o procedimento. Nesse caso, ela transfere a atividade para outra organização. Ressalta-se que a responsabilidade ainda se mantém com a primeira empresa.

Redespacho

Aqui duas ou mais transportadoras estão envolvidas no processo de entrega. Por exemplo, uma empresa efetua a coleta de materiais e, após, os transfere para outra empresa, que finalizará o transporte. Cada organização é contratada separadamente e é responsável pelas suas próprias atividades.

Redespacho intermediário

Esse tipo é similar ao anterior, mas há pelo menos 3 empresas envolvidas no transporte. Veja um exemplo:

  • empresa A (serviço normal): recolhe o material;
  • empresa B (redespacho intermediário): faz o transporte até apenas uma parte do trajeto e transfere os bens à empresa C;
  • empresa C (redespacho): finaliza a operação entregando os bens ao destino final.

Os impactos dos tipos de frete nos resultados do negócio

A responsabilidade, os custos e os riscos são elementos muito impactantes para as finanças de um negócio. Imagine uma empresa que venda para varejos e disponibilize apenas o frete CIF. Se houver clientes que prefiram trabalhar com FOB, esse último tipo de frete pode ser a melhor escolha para evitar riscos.

Além disso, os dois tipos de frete estão previstos no INCONTERMS (International Commercial Terms ou Termos Internacionais de Comércio), que são regras comerciais internacionais. Portanto, se você comercializa com empresas do exterior ou deseja expandir seus negócios de forma global, também é necessário saber fazer a escolha adequada entre o CIF e o FOB.

Saber escolher entre os tipos de fretes impacta diretamente na rotina e nos resultados do negócio. Ao conhecer mais sobre o assunto, você conseguirá fazer a opção mais vantajosa para a sua empresa, seus parceiros e clientes.

APP Entreguei - Plataforma de Controle de Entregas

Confira e siga já nossas páginas no Facebook, Twitter e LinkedIn! Assim você pode acompanhar nossas publicações e se manter atualizado sobre o assunto!

Avalie este artigo


Veja também

Deixar comentários